Re-ver o mundo       

2017

A fotografia é uma linguagem artística que permite diversas possibilidades de uso e de criação de poéticas, desde sua invenção até os dias de hoje. Dessa forma, a oficina Fotografia artesanal: com os olhos de re-ver o mundo foi ministrada na Semana do Calouro do curso de comunicação social da Universidade Federal do Pará e também no XXI Encontro Nacional de Estudantes de Arte (ENEARTE), em Salvador-BA. A partir da oficina, utilizando-se da fotografia artesanal, foi possível se fazer estudos com a luz acerca da formação de imagens, utilizando da construção de câmeras escuras, criações com pincel de luz, os quais servem como base para se entender os processos na fotografia digital.

A proposta final da oficina foi o compartilhamento da experiência da câmera escura com a comunidade acadêmica da Universidade. Assim, levamos as câmeras construídas para os corredores onde vários olhares curiosos vivenciaram visualizar o mundo “invertido”. Postar os registros feitos, a partir do uso de celular dos participantes, também é uma forma de compartilhamento das vivências com a fotografia artesanal.

A proposta educativa de gerar reflexões frente ao tempo e ao espaço foi de extrema importância para se entender a distância e a proximidade do princípio ao fluxo de informação que temos hoje; unimos saberes antigos ao domínio da tecnologia dos participantes da oficina. A era é digital, mas os saberes pertencem ao mundo há muito tempo. Ali estamos como facilitadores do artefato, da máquina, dos símbolos; a linguagem e as histórias por elas e eles são contadas. Assim, a fotografia com a câmara escura é transformada em um complexo a ser trabalhado e manipulado dentro de um sistema experimental.