De uma Belém a outra (2020)
DeumaBelem_03.png

De uma Belém a outra é uma vídeoperformance criada a partir de minha experiência de quando saí de minha cidade, Belém do Pará, no Brasil, para ir à Belém de Lisboa, em Portugal. Este processo foi marcado pelos atravessamentos que meu corpo sentiu e ouviu.  Desse modo, aborda aspectos da relação histórica e desdobramentos atuais entre os dois países, assim como reflexões sobre monumentos públicos que homenageiam figuras colonialistas.

Filmagem | Produção: Dori Nigro

Videoperformance, 2020.

"Corpo é memória. É a primeira coisa que penso quando assisto De uma Belém a outra. Na verdade, não é apenas memória, mas faz memória porque quando este corpo, filho de uma nação que foi construída sob o holocausto ameríndio vai ao encontro do invasor, ou melhor, ao encontro do símbolo que glorifica essa invasão, este corpo carrega consigo a história de outros corpos, e a sua presença naquele território tensiona a farsa do “descobrimento” que atravessa e une a história destes países, assim como evidencia em um só tempo a condição idolátrica e de ruína daquele monumento".

Fragmento do texto De corpo presente, escrito por Laura Benevides.